DETECTOR DE GÁS COMBUSTÍVEL E TÓXICO


Unidade de Controle de Campo para detecção de gás combustível e tóxico Modelo CTH-VECTOR-SENSOR INTELIGENTE PGU-IR/E/C Aplicação: DETECTORES DE GÁS COMBUSTÍVEL - DETECTORES DE GÁS TÓXICO Montagem: Integral ou remoto Segmento: Plataformas offshore - Plataformas terrestres - Navios de navios-tanques, cargueiros e outras embarcações - Instalações de processamento e armazenamento de GNL / GLP - Refinarias de petróleo e gás - Plantas petroquímicas - Utilidades de gás e eletricidade - Indústrias Químicas - Outros



Saiba Mais


Unidade de Controle de Campo para detecção de gás combustível e tóxico

Aplicação:   DETECTORES DE GÁS COMBUSTÍVEL - DETECTORES DE GÁS TÓXICOS

Descrição:

Princípios de funcionamento:
O CTH-VECTOR é uma unidade de controle de campo de última geração que funciona como um terminal de controle integrado e visor OLED, para a linha de detectores de gás da Contech. A unidade de controle de campo (FCU- Field Control Unit) CTH-VECTOR pode ser instalado remotamente até 150 metros do local de instalação de um detector de gás. O detector também pode ser ligado diretamente ao CTH-VECTOR tornando uma unidade de detector / monitor unificado. A Serie CTH-VECTOR com sensores PGU foi concebido para detectar gases tóxicos e combustíveis com precisão e segurança. Uma gama de gases tóxicos, incluindo sulfeto de hidrogênio podem ser monitorados com sensores eletroquímicos, catalítico e por foto ionização, gases combustíveis com sensores infra vermelho.

Especificações técnicas:

– Configurável para controlar e monitorar até 02 detectores.

– Tela OLED de 2.7” (diagonal) com resolução de 128×64. Exibe uma ampla gama de dados, incluindo concentrações de gás, níveis de alarme, falhas e modos operacionais.

– Saída analógica 4‐20 com HART, RS‐485 Modbus RTU, e 4 relés programáveis e 01 relé de falha.

– Calibração não intrusiva do detector no local através de um comunicador de campo HART ou bastão magnético.

– O log de eventos é armazenado na memória interna e acessível via RS-485 Modbus RTU.

– Temperatura de operação na faixa de ‐50⁰C a 75⁰C.

– Certificação SIL por uma agência terceira.

– Construído em aço inoxidável 316, invólucro à prova de explosão, Classe 1, Divisão 1

– Interface não intrusiva com o menu operacional exibido no display OLED, utilizando bastão magnético.

– LED de status de três cores indica o modo operacional, falha, presença de gás, modo de calibração e nível de alarme.

– Voltagem: 18 a 32 Vcc;

– Consumo: < 2 W em repouso e < 5 W em alarme; 

– Umidade: % 0 ~ 100% não condensado; 

– Temperatura de operação: – 40 °C ~ 75 °C; 

– Grau de proteção: IP 67; 

– Material do invólucro: aço inoxidável 316;

Aplicações:.

- Plataformas offshore;

- Navios-tanque, cargueiros e outras embarcações;

- Processamento de GN / GLP e instalações de armazenamento;

- Refinarias de petróleo e gás;

- Plantas petroquímicas, entre outras.

Benefícios: 

Sensor de Gás Modelo CTH-PGU:

Os sensores universais PGU operam com a faixa de temperaturas de -40 a 75°С e umidade relativa de até 100% (não condensado), grau de proteção IP 66, tensão nominal 24 Vcc (+18 / 32Vcc) e, podem ser eletroquímico (PGU-E), infravermelho (PGU-IR), fotoionizado (PGU-P) e catalítico (PGU-C).

CTH-PGU-E Eletroquímico:
O sensor eletroquímico é calibrado par um gás específico.

*Tempo de resposta: intervalo de tempo, com o equipamento na condição aquecido, entre o tempo no qual uma variação instantânea entre o ar limpo e um gás-padrão, ou vice-versa, é produzida na entrada do equipamento e o instante em que ele responde, atingindo uma porcentagem específica (x) do sinal estabilizado no gás-padrão de ensaio. **Alguns sensores têm faixas variadas, e uma delas é determinada pelo usuário durante o início da calibração.

O sensor CTH-PGU-P contém eletrodo em contato com um eletrólito. O gás-alvo é difundido no sensor por meio de uma membrana e entra em contato com os eletrodos, onde é oxidado. A reação eletroquímica resulta em uma corrente elétrica que passa para o micro controlador e, de lá, para o receptor CTH-Vector. A magnitude da corrente é controlada pela quantidade de gás-alvo que é oxidado pelo eletrodo. A saída da corrente do sensor também tem linearidade proporcional à concentração de gás. Uma saída linear permite uma medição mais precisa das concentrações baixas e uma calibração muito mais simples.

CTH-PGU-P Fotoionização:
O sensor por fotoionização é calibrado par um gás específico.
*Tempo de resposta: intervalo de tempo, com o equipamento na condição aquecido, entre o tempo no qual uma variação instantânea entre o ar limpo e um gás-padrão, ou vice-versa, é produzida na entrada do equipamento e o instante em que ele responde, atingindo uma porcentagem específica (x) do sinal estabilizado no gás-padrão de ensaio. 

**Alguns sensores têm faixas variadas, e um deles é determinado pelo usuário durante o início da calibração.
Observação: Todos os gases com potencial de ionização de < 10,6 eV. O CTH-PGU-P realiza a detecção seletiva das moléculas de hidrocarboneto utilizando uma luz de infravermelho e detectores de fotoionização (PID). O ar que contém moléculas do gás combustível selecionado passa por uma câmara de coleta que têm uma fonte e um detector IV. As moléculas que contém gás combustível absorvem os fótons IV e se tornam ionizadas. As moléculas ionizadas criam uma corrente elétrica que é medida pelo detector. A corrente elétrica aumenta conforme a quantidade de moléculas de gás na câmara aumenta. A corrente é medida e processada pelo sensor CTH-PGU-P, gerando os sinais que são passados ao receptor CTH-Vector pelo RS-485. Cada detector é um fator programado para o gás solicitado pelo cliente no momento da compra. CTH-PGU-IR Infravermelho: O sensor de absorção infravermelho é calibrado par um gás específico. 

*Tempo de resposta: intervalo de tempo, com o equipamento na condição aquecido, entre o tempo no qual uma variação instantânea entre o ar limpo e um gás-padrão, ou vice-versa, é produzida na entrada do equipamento e o instante em que ele responde, atingindo uma porcentagem específica (x) do sinal estabilizado no gás-padrão de ensaio. 

**Alguns sensores têm faixas variados, um destes é determinado pelo usuário durante o início da calibração. O funcionamento do CTH-PGU-IR tem como base a interrupção do sinal seletivo por moléculas de hidrocarboneto quando uma fonte de luz de infravermelho é projetada em um detector óptico. A medição para um gás específico é determinada pela passagem da energia do IV através do filtro colocado entre a fonte e a câmara onde o gás é coletado. Se não houver gás, o detector receberá toda a energia irradiada pela fonte de IV e gera uma corrente elétrica. Quando as moléculas de gás entram na câmara de coleta, cada molécula do gás bloqueia a energia do IV, reduzindo a saída do detector, que é processada pelo sensor CTH-PGU-IR. Cada detector é entregue com um pré-ajuste para um gás específico; no exemplo exibido, o gás é o metano (CH4), que é ionizado em dois pontos no espectro de luz, um para cada elemento atômico, e são medidos como números de onda (cm-1). CTH-PGU-C Catalítico: Utilização do sensor catalítico (pelistor) especificamente para a detecção de hidrogênio 

*Tempo de resposta: intervalo de tempo, com o equipamento na condição aquecido, entre o tempo no qual uma variação instantânea entre o ar limpo e um gás-padrão, ou vice-versa, é produzida na entrada do equipamento e o instante em que ele responde, atingindo uma porcentagem específica (x) do sinal estabilizado no gás-padrão de ensaio. 

** Todos os dados fazem referência ao sensor catalítico conforme testado com gás H2 de uma fonte aprovada. Os dados do sensor exibidos têm como base um ambiente de teste ideal sem a interferência de outros gases O sensor de anel catalítico CTH-PGU-C, oxida o gás alvo na superfície de um filamento de alumina aquecido. O calor resultante da combustão gera uma alteração na resistividade do elemento que é diretamente proporcional à concentração de gás. Um metal precioso catalisador é embutido na superfície do filamento de alumina para abaixar a temperatura de oxidação. Dois fios de ligação são embutidos no filamento de alumina e conectados eletricamente em um circuito de ponte de Wheatstone. O calor é gerado ao passar corrente através dos condutores.


Detector de Gás Combustível

Modelo CTH-SGOES 

Descrição:

Princípios de funcionamento:

Os detectores de gás da Série CTH-SGOES utilizam a tecnologia de infravermelho para detectar gases de Hidrocarbonetos no ambiente. Com uma alta rapidez no tempo de resposta (T90 < 05 segundos), é indicado para ambientes onde a precocidade na detecção seja essencial, além de não depender do oxigênio dentro de sua câmara para detectar hidrocarbonetos. Com saída de 4-20 mA, pode ser conectado diretamente em um CLP ou um indicador remoto (SS-903), possui ainda três (03) reles para indicação do nível de gás e um (01) de falha, saída RS 485 Modbus-RTU e Hart.

 “O CTH-SGOES é um detector de gás combustível que mede a concentração de gás de hidrocarbonetos presente no ambiente monitorado. O CTH-SGOES é configurado para reportar alarmes quando a concentração de gás no ambiente atingir dois níveis programados de forma independente, expressos com um percentual do Limite Inferior de Explosividade (LIE) no ar. Conforme determinado por exigências de aplicação, o CTH-SGOES é calibrado de fábrica com um dentre oito gases compostos por hidrocarbonetos (normalmente metano ou propano). Fatores de conversão são utilizados para a correção para gases que não sejam os gases de calibração de fábrica.

Além disso, o CTH-SGOES não é sensível para detecção inadvertida de gases, como nitrogênio, oxigênio, ácido carbônico, amônia e sulfeto de hidrogênio. Isto faz do CTH-SGOES uma excelente escolha para ambientes em que estejam presentes gases que não sejam os gases os de hidrocarbonetos e onde é necessário monitorar com precisão os hidrocarbonetos combustíveis, como metano e propano.

Especificações técnicas:
• Tempo de resposta rápido (T90 ≤ 5s a 100% LEL metano);
• O detector opera com a faixa de temperaturas mais ampla de sua classe (-76⁰F até +185⁰F / -60⁰C até +85⁰C c/ o pacote adicional de Extensão de Temperatura);
• Sem significativa do desvio do zero;
• A cobertura de proteção de alto desempenho contra condições climáticas elimina a entrada de água na câmara de detecção de gás, causa comum de alarmes falsos com a maioria dos detectores por infravermelho.
• Calibração de zero e de ganho simples e não invasiva.
• Pode ser utilizado juntamente com as Unidades de controle de campo CTH-VECTOR para exibir localmente leituras de gás, níveis de alarme e status do dispositivo.
• Voltagem: 18 a 32 Vcc;
• Consumo: 2 W em repouso, 4,5 W em alarme e 7,9 W máximo.
• Umidade: % 0 ~ 100% não condensado;
• Temperatura de operação: – 60 °C ~ 85 °C;
• Grau de proteção: IP 66;
• Material do invólucro: aço inoxidável 316;

Aplicações:

– Plataformas de perfuração e produção;
– Navios-tanque, cargueiros e outras embarcações;
– Instalações de carregamento de combustível;
– Refinarias, terminais de granéis e parques de tanques;
– Instalações de processamento e armazenamento de GN / GLP;
– Estações de compressores e gasodutos;
– Plantas petroquímicas, de pintura e fertilizantes;
– Termoelétricas e instalações de turbinas a gás;
– Instalações de transporte (aeroportos e metrôs);
– Caldeiras / fornos a gás e petróleo;
– Monitoramento de regulamentação ambiental; etc.


Detector de Gás Combustível por Caminho Aberto 

Modelo CTH-TGAES 

Descrição:

Os detectores modelo TGAS é um sistema de detecção de gás por infravermelho de caminho aberto que proporciona a monitorização contínua da concentração de gases combustíveis de hidrocarboneto na gama de 0 a 5 LEL / m, a uma distância de 5 a 200 metros. As saídas do padrão sistema incluem uma saída de corrente 4-20 mA, com HART e RS 485 Modbus. O TGAS é capaz de detectar a maioria dos gases e vapores de hidrocarbonetos, incluindo metano, etano, propano, butano, propileno e outros. Não é necessário nenhuma interligação elétrica direta entre os dois módulos. A aplicação do sistema de TGAS pode substituir até doze detectores de gás fixos.

Especificações técnicas:
– Voltagem: 18 a 32 Vcc;
– Consumo: Transmissor: 7,0W @ 24Vcc
Receptor: 6,0W @ 24Vcc
– Umidade: % 0 ~ 100% não condensado;
– Temperatura de operação: – 40 °C ~ 60 °C;
– Grau de proteção: IP 66;
– Material do invólucro: aço inoxidável 316;
– Range de detecção: de 05 a 200 metros;
1,0 LEL m
2,5 LEL m
5,0 LEL m
– Tempo de resposta: T90 < 5 segundos;
– Precisão: +/-0,25 LEL metro ou 10% da escala aplicada.

Aplicações:

- Plataformas de perfuração e produção;
- Navios-tanque, cargueiros e outras embarcações;
- Refinarias, terminais de granéis e parques de tanques;
- Instalações de processamento e armazenamento de GN / GLP;
- Plantas petroquímicas, de pintura e fertilizantes;
- Termoelétricas e instalações de turbinas a gás; etc.